domingo, fevereiro 01, 2009

Lobo Duarte

Ainda espero.

Ainda espero aquela canção com a rádio metida entre lençóis, ainda penso que me apaixonei por ti quando te vi de punho erguido descendo a avenida. Vou experimentar aquele fato de macaco, agora tenho aulas de sexo e de mecanica, tu queres fazer amor em cima do tejadilho do velho carocha, pego no capital de karl marx e faço uma almofada para pores a cabeça, cada orgasmo teu é uma conquista revolucionária. O teu corpo, o nosso corpo, parece que tem lá o grito dos nossos filhos, as canções que eles querem cantar, a força que tem... meu amor onde está abril, em que rua se canta ainda a grandola? olha meu amor já ouviste falar dos orgasmos de Abril?!... vamos cantar , nós temos os tomates cheios de revolta, vamos fazer do nosso corpo livre, um mundo livre de opressão

foto de Valentina Cinelli

Sem comentários: