domingo, novembro 22, 2009

Al Qabri Ramos




Envelhecer ébrio

Um tinto que lhe esbata a negrura,
um copo gasto e um olhar no nada
que o tempo se aquieta na pressa
dos outros e se deslaça, na minha.

Do relógio ao vidro de esquecimento
na mesa, que a idade dos amigos se perde
na necrologia das notícias diárias.


E das palavras cruzadas
já tão gatafunhadas,
leio o seu estado na vertical

- cansado de ser inútil, sem criações,
sem aventuras, nem preocupações
(a não ser o fígado e às vezes o papo)

- cansado de ter apenas serventia
na tasca entre o dominó de fim de tarde,
um vento que às vezes sopra
vindo de Espanha
e a chegada da cadela Laica
que o vem buscar para a cama.



- Já vou Laica, já vou.

Sem comentários: