sexta-feira, março 05, 2010

Carlos Peres Feio


















Para Quem detiver o Código

a manhã acordou antes de mim
nem uma folha mexia
as ameaças no ar
eram do fim do mundo
o compasso de um relógio
dizia que tudo termina
um dia

já não viajo como dantes
os circuitos estão no redil
da minha cabeça

nunca sou sozinho
como à mesa dos fantasmas
que me são indispensáveis
deito-me em cama preenchida
com imagens sensuais
que de ti registei

uso os versos escritos
como colete salva vidas
e assim tenho a garantia
de ter conhecido de muito perto
o fogo de que me alimento

em mente três
últimos pensamentos
para um final feliz
Amizade Afeição Amor






in Carlos Peres Feio

Sem comentários: