quarta-feira, julho 06, 2011

Inês Pedrosa



Os outros começaram a gostar dela por causa dessas transformações que lhe arredondaram os interiores e lhe aplanaram a fachada. Eu continuei a gostar dela como se nada tivesse mudado. Ao contrário do que se diz, os sentimentos mudam muito pouco. São coisas que nascem velhas e que se pegam às vísceras como uma doença e que ficam a deitar cheiro depois da morte.

Inês Pedrosa, in Nas tuas mãos

Sem comentários: