quarta-feira, julho 06, 2011

Né Ladeiras



O expoente máximo feminino de música tradicional portuguesa de qualidade, desde sempre, note-se.
Mesmo quando não a vêem, ela está lá. Um vulto que marca a diferença nas raízes tradicionais tugas.

Todo este céu. La çarandilheira. Sinhô.
Em Coimbra, serei tua. Natação obrigatória.
País Portugal. Oh que estriga tenho na roca.
Porque não me vês. Dessas juras que se fazem.




foto de Carlos Gil

Sem comentários: