quinta-feira, novembro 03, 2011

Max Richter - Infra

Teatro Maria Matos.
  É homenagem à arte na sua totalidade, versando a dança, através do corpo de ballet, da inspiração de Wayne McGregor e da sua visão nada redutora do ser humano; de um universo mágico e louco de Max Richter através da música e dos registos ousados (de Satie a Shubert), misturando autores e ideologias como se no apocalypse se redescobrisse o valor humano da arte; da dor que nos agiganta, ao medo que nos aprisiona, da doçura da esperança ao ritmo do dia-a-dia ocasional, do laissez faire laissez passez, através da cenógrafa Julian Opie, nas paisagens urbanas de rua. 
  T.S.Elliot parece estar subjacente a esta segunda pele, bem como as "metamorfoses" de Kafka, Haruki Murakami e tantos outros. Espreitar a intensidade com que se materializa uma ideia e se dá corpo à paixão pode ser uma alternativa 2 em 1. Uma fuga bem conseguida ao cinzentismo deste Inverno. O Teatro Maria Matos será o palco. Este sábado, 5 de Novembro, com início ás 22h. ;) Enjoy.
Acompanho-vos nos primeiros 7 minutos.


Sem comentários: