terça-feira, fevereiro 28, 2012

Ana Porfirio







A verdade é que na vida real as histórias raramente terminam como nas outras, aquela coisa do viveram felizes para sempre é mentira, ninguém vive feliz para sempre, nem sempre, a felicidade é uma coisa que nos escorrega nos dedos que por vezes temos e não damos conta, sei lá, fui feliz milhares de vezes, por momentos, por horas, por dias, por meses, há coisas que me fazem feliz mesmo em dias maioritariamente tristes, complicados ou difíceis, geralmente são coisas pequenas, um abraço, um chá quente quanto está muito frio, os bagos de romã descascados numa tigela pela minha avó quando eu regressava da escola, o cheiro a biscoitos no forno, os cheiros bons de uma maneira geral fazem-me feliz, canela, jasmim, sândalo, laranja, bebés, terra molhada, mar, sem ordem preferencial conforme as estações e o estado de espírito, os sorrisos e os risos, claro, a agitação de e a efervescência, de um projecto, de outras coisas, a paz, a calma, também, fui feliz quando era pequena, enquanto crescia e agora já mulher, portanto também não é da idade, fui feliz apaixonada e de coração completamente livre, o contrário também é verdade, fui feliz com joelhos esfolados e com meias de senhora, fui feliz com pouco e com muito, acho que sou tremendamente feliz por períodos ocasionais, rápidos, inesperados, fátuos, mas sou feliz, nem sempre, nem para sempre, de vez em quando.




in E agora algo diferente, completamente, mesmo.

Sem comentários: