segunda-feira, março 26, 2012

Vítor Ramil



Espaço. Foi no mês que vem. Semeadura. Loucos de cara. Joquim.
Deixando o pago. Querência. Estrela, estrela. Sexie Sadie. Assim assim.
Saudades dos aviões da Panair. Ramilonga. Vento negro. Gaudério.
Deixa eu me perder. Passageiro. Que horas não são. Não é céu. Viajei.
Sapatos em Copacabana. Longe de você. Astronauta lírico. Perdão.
A zero por hora. A ilusão da casa. Milonga de Albornoz. De banda.
Livros no quintal. Chimarrão. Valérie. O milho e a inteligência. Eco.
Noturno. Subte. Milonga de los morenos. Um dia você vai servir alguém.
Grama verde. Milonga de Manuel Flores. Milonga das sete cidades.
Milonga para los orientales. Milonga de dos hermanos. Pingo à Soga.
Só você manda em você. Nada a ver. Invento. Noite e dia.
A word is dead. Destiny. Neve de papel. 12 secundos de oscuridad.



Vitor Ramil, tem 49 anos e nasceu em Pelotas, Brasil a 7 de abril de 1962. É músico, intérprete, compositor e escritor. Está no mundo da música desde a década de 80 e "continua a ser um segredo bem guardado" da música brasileira. Em matéria de obras literárias, Pequod, A estética do frio e Satolep.
Para mais informações do seu percurso profissional sobre a carreira, consultar a wikipedia. 


Sem comentários: