quinta-feira, abril 05, 2012

Pedro Barroso



Setembro. Cartas a Portugal. Sou português. Eternos sonhadores. Lua.
Excesso. Anúncio Confidencial. Partido. Navegador do futuro. Noite.
Ai consta. Longe. Canção para regressar. Rugas. Amantes. Água.
Amor antigo. Eu hei-de, meu bem, eu hei-de. Esperança. Amor tranquilo.
O velho artista. Barca em chão de lama. Canto da memória. Aniversário.
Tanta gente. Carnaval. Foi por um rasgo de voz. Maria mal-amada.
Aprendi cantos co'a Terra. Fado, afinal. Rapsódia final. Viva quem canta.
Balada do desespero. Menina dos olhos d'água. Agora nunca é tarde.
Poema do lavrador das palavras dos políticos. Viriato. Bonita. Tão mulher.
Nasce Afrodite, amor, nasce o teu corpo. Pão de pedras. Pedra filosofal.
Verdes são os campos. Jardim de poetas. Ventos siderais. Longe daqui.
O último templário. Em Sagres. Ai, mulher. Caso sério. Música de mar.
E assim não há poemas. Praia portuguesa. Quando o coração chora de dor.
Companheira. Dá-me uma gota de ti. In Nominae In. Fato cinzento.
Mulheres (se calhar amor). Música, música. Palavras. Ai, o tempo.
Salvar a terra. Canção Semente. Homem de um só parecer. Jet set party.
De novo, Catarina. Água mole em pedra dura. Canção para a unidade.
Piação dos ninhos. Fado da Charneca.  Romance de Almeirim.
A ida ao mercado. Dança da feira. Anarquistas e viagens. Canto novo.
Em nome do feitiço acontecido. A festa foi bonita. O cheiro. Fado Quitério.


António Pedro da Silva Chora Barroso (Lisboa28 de Novembro de 1950) é um cantorautor-compositor e músico português, com cerca de 30 álbuns gravados desde a década de 70. Paralelamente, foi docente e escritor publicado.

Tendo nascido em Lisboa, Pedro Barroso cresceu em Riachos, terra natal do pai, professor do Ensino Primário.
Completou o curso de Educação Física em 1973 na Instituto Nacional de Educação Física, actual Faculdade de Motricidade Humana, e foi professor no Ensino Secundário durante mais de vinte anos.
Viria mais tarde a obter um diploma de pós-graduado em Psicoterapia Comportamental, em 1988, tendo trabalhado na área da Saúde Mental e Musicoterapia durante alguns anos. Foi, neste campo, pioneiro no ensino de crianças surdas-mudas, numa escola de ensino especial de Lisboa.
Membro activo da comunidade artística e musical integrou a direcção do Sindicato dos Músicos e foi autor, em 2002, do polémico Manifesto sobre o estado da Música Portuguesa que teve audições junto de todos os Grupos Parlamentares na Assembleia da República e do então Presidente da RepúblicaJorge Sampaio.
Desde 2003, é membro dos corpos gerentes da Sociedade Portuguesa de Autores, na direcção presidida por Manuel Freire.
Barroso já foi convidado a dar palestras sobre a Cultura Portuguesa nas Universidades de NyemegenEstocolmoToronto e Budapeste.
Pedro Barroso é pai do também cantor Nuno Barroso, vocalista dos Além Mar.


Sem comentários: